quinta-feira, 3 de outubro de 2013

LEV - FAQ, esclarecimentos e coisas do género

(Disclaimer: tenho recebido bastantes emails a fazerem-me perguntas sobre a LEV e tenho-me atrasado nas respostas. A verdade é que o meu horário não me tem permitido ter tempo para muita coisa. Daí, decido tentar fazer um apanhado dessas dúvidas e escrever este texto. Se, ainda assim, ficar alguma coisa por responder, deixem um comentário ou enviem email.)

Vamos começar pelo preço dos produtos/custo da dieta, que me parece ser uma das questões mais importantes quando se pensa seguir um plano alimentar deste género. Muitas pessoas me perguntam se a LEV é cara ou quanto é que eu gastei num mês, outras, porque leram no blogue que eu tentei fazer contenção de custos, perguntam-me como é que fiz essa dita contenção.

Ora bem, sendo o mais sincera possível, a LEV é um plano alimentar dispendioso. Não posso dizer que é caro, porque os resultados compensam, muito, o custo, mas é dispendioso. E é preciso pensarmos nisso logo à partida, para não sermos forçados a desistir a meio.

A primeira fase, que é a fase em que nos alimentamos (quase) exclusivamente de comida LEV, é a mais dispendiosa de todas; temos de fazer entre 5 a 7 refeições por dia, sendo que as principais têm de ser acompanhadas por legumes (de uma lista de legumes ditos autorizados, que nos dão na primeira consulta). Foi precisamente nesta fase que eu tentei controlar mais os custos. Fazia apenas 5 refeições LEV e, ao jantar, comia só sopa ou legumes salteados, utilizando apenas os legumes permitidos. Nem sempre a sopa ficava boa, mas não tinha outro remédio, tinha de a comer. Posso, se quiserem, fazer posts com algumas receitas, ou, mesmo, escrever aqui as listas de legumes autorizadas em cada fase.

Quanto a preços, estamos a falar na primeira fase de, no mínimo, 5 refeições por dia, sendo que cada refeição ronda os 3,30€. As refeições são vendidas em caixas de 5 unidades, que custam 16,50€, com algumas excepções; mas essas excepções são, quase sempre, reflectidas no preço; o preço de cada caixa/pack baixa ou sobe consoante o número de unidades que contém. A partir daqui é fazer as contas, consoante o número de dias que precisam de passar na primeira fase, e, também, o número de refeições que acham que vão consumir por dia, entre as 5 e as 7. Quem tem um dia muito comprido, que começa cedo e termina tarde, provavelmente não vai conseguir aguentar-se com 5 refeições.

Na segunda fase passamos a poder consumir, ao almoço ou ao jantar (mas preferencialmente ao almoço) 120 gramas de carne ou peixe, novamente, de uma lista de carnes ou peixes permitidos; relativamente à carne cumpri à risca, quanto ao peixe, comi dourada e robalo (e até salmão, na 3ª fase) que, supostamente, não eram permitidos e perdi (muito) peso na mesma. Fui muito rigorosa em tudo, excepto no tipo de peixes e a partir da terceira fase comecei, com moderação, a comer cenoura.

Leite, queijo e fruta só se voltam a consumir na terceira fase, onde só temos que fazer duas refeições LEV por dia: uma das da terceira fase e uma da primeira/segunda fases. Isto porque há refeições que, por serem mais calóricas e terem uma maior quantidade de hidratos de carbono na sua constituição, só podem ser consumidas a partir terceira fase. As outras refeições, nesta fase, são normais. Pode comer-se um pão integral ou de mistura (ou duas fatias) ou cereais integrais ao pequeno almoço (podem tentar dizer-vos para consumir pão LEV - eu recusei) acompanhado de um produto lácteo (são permitidos três por dia, de uma lista de produtos lactéos autorizados), carne ou peixe com legumes ao almoço (os legumes permitidos vão aumentando de fase para fase), e, depois, consoante precisem podem fazer um lanche a meio da manhã e outro a meio da tarde, ou dois a meio da tarde, ou, então, como eu fazia, trÊs lanches a meio da tarde, utilizando uma peça de fruta num lanche (são permitidas duas porções de fruta por dia, de uma lista, grande, de frutas autorizadas), uma saqueta LEV da primeira fase num dos lanches, e uma saqueta LEV da terceira fase no outro lanche; mas eu fazia isto porque só jantava às 22h, novamente, sopa ou legumes salteados. (A LEV tem esta grande vantagem; podemos adaptar o plano ao nosso horário; sabemos o que podemos comer, em que quantidades, e vamos alternando as refeições conforme precisamos.) Esta fase é uma fase em que já se perde pouco peso. Uns dois a quatro kgs. por mês, o que parece pouco, para quem vinha de perder sete por mês nas duas fases anteriores. Daí eu achar que é uma fase que deve ser mais curta. É também uma fase bastante mais barata, onde "só" gastamos cerca de 6,8€ por dia nos alimentos LEV.

A quarta fase consiste no regresso à alimentação tradicional, que, consoante ainda tenham peso para perder ou não, irá ter variantes.

É preciso mencionar, também, que, além da comida, há suplementos que temos de tomar, uma vez que, como somos privados de muitos alimentos, corremos o risco de sofrer alguma carência nutricional. E esses suplementos também custam dinheiro. Poderão consultar is preços no site da LEV, aqui. São obrigatórios, na primeira fase 6 CLA por dia (2 ao pequeno-almoço, 2 ao almoço, 2 ao jantar, pelo que umacaixa dá para 10 dias), 2 saquetas de Hipertónico (1 ao pequeno-almoço e 1 ao almoço, pelo que uma caixa dá para dez dias), 2 Magnésios (1 ao almoço, 1 ao jantar, pelo que cada caixa dá para 30 dias), 1 Complexo Vitamínico ao pequeno almoço (pelo que uma caixa dá para 30 dias) e 1,5 litros de água com uma saqueta de ARL (anti-retenção de líquidos, cuja caixa traz 7 saquetas, pelo que dá para 7 dias). Depois, consoante cada caso, podem ser acrescentados outros suplementos. No meu caso tomei, além destes, 3 Ómega 3 vegetal (1 ao pequeno-almoço e 1 ao almoço, pelo que uma caixa dá para 20 dias). A suplementação mantém-se igual na primeira e segunda faes. Na terceira fase acrescentaram-me 3 Faneras ao jantar, que é um suplemento para unhas e cabelo (cada caixa dá para 20 dias). Na quarta fase a suplementação pode, ou não, manter-se, vai depender do vosso nutricionista. Eu comecei a reduzir, porque, em termos financeiros, estava a ficar apertada e porque já estava a comer todos os alimentos, logo achei que não precisava de tantos suplementos.

As consultas na LEV são de 10 em 10 dias, e são gratuitas. E pela minha experiência os nutricionistas são acessíveis, pelo que, o melhor conselho que posso dar é que marquem uma consulta e esclareçam todas as vossas dúvidas. O meu nutricionista era o dr. João Amorim, da clínica do Saldanha, em Lisboa, e gostei muito dele, e da forma como percebia que, financeiramente, nem sempre é fácil fazermos LEV tanto tempo quanto queriámos. Nesta clínica há a vantagem de haver 1h de estacionamento grátis na garagem da 5 de Outubro, para não termos de pagar parquímetro.

Quanto a resultados, a LEV fala em até 7 kgs. por mês. Eu posso dizer-vos que, no primeiro mês (com 20 dias de fase 1 e dez de fase 2) perdi 10 kgs. Fiz LEV durante dois meses e perdi à volta de 14/15 kgs. (já não sei precisar bem). Quanto mais tempo vai avançando, mais o corpo se vai habituando e mais vai resistindo, mas a LEV é, sem dúvida, uma dieta muito eficaz.

Quanto a voltar a recuperar o peso, é igual às outras dietas. Se voltarmos a comer de forma desregrada, claro que voltamos a ganhar peso. Mas a LEV ajuda-nos a ter uma noção daquilo que, de facto, precisamos e nos faz bem, ajuda-nos a puxar pela imaginação no que toca a cozinhar vegetais e a fazer comidas saborosas com os alimentos permitdos e, isso, é um ensinamento que fica.

Durante toda a dieta, pode beber-se chá ou café, com adoçante, 1 coca-cola light ou zero por dia (eu nunca bebi) e 1 água com gás por dia (também nunca bebi).

Se estão pensar que gostavam de fazer LEV mas não têm dinheiro para fazerem todo o tempo que precisavam, façam na mesma. Encurtem as fases, usem-na como um empurrão, um estímulo, uma forma de perderem aqueles quilos iniciais rapidamente e vos estimularem. Eu também ainda tenho peso para perder, mas neste momento não posso voltar à LEV e estou a fazer outra dieta (de que, provavelmente, falarei noutro post).

E, para quem possa ter medo, a comida da LEV é saudável, sim, apesar de não ser refrigerada. Ela é, quase toda liofilizada, e a que não é, tem uma grande durabilidade/capacidade de resistência. O meu colesterol, por exemplo, baixou muito com a LEV.

No que diz respeito às comidas propriamente ditas, as minhas preferidas são o cacau, as cookies, as bolachas de manteiga, os macarrons, todas as batatas fritas, os snacks de alho e salsa, chilli e barbecue, os iogurtes, a bebida de café, os sumos e os waffers (que agora também existem para a fase 1, sortudos!). Na fase 3 & 4, gostei muito das bolachas de chocolate, canela e manteiga de amendoim e dos waffers.

Espero que este texto vos tenha ajudado a esclarecer todas as dúvidas que tenham, mas, se continuam a querer saber mais alguma coisa, não hesitem em deixar um comentário ou enviar-me um email.



4 comentários:

  1. Nem de propósito, hoje mal entrei no carro a minha mãe disse que ia começar a fazer a dieta LEV ;) Ela precisa de perder uns 10/15 quilos, e não tem paciência para fazer uma dieta 'normal', digamos assim. Fica desmotivada, acaba por não comer quase nada durante o dia e depois à noite devorar este mundo e o outro, enfim. Eu ainda tentei fazê-la mudar de ideias, mas de certa forma este teu post tranquilizou-me: pelo menos a LEV não parece assiiiim tão má ;)

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana,

      Não é assiiiim tão má, é rápida e eficaz. Não concordo com tudo, acho que a fruta faz falta, mas incentiva o consumo de legumes e isso é bom.
      Mas não deixes que eles lhe sugiram ficar 40 dias na fase 1. 20 chega, nem que depois tenha de estar 30 ou 40 na fase 2. A fase 3 não vale a pena prolongar, perde-se pouco.
      Outro truque: eles trocam algumas refeições, por isso ela que não tenha medo de trazer para experimentar; se não gostar é levar outra vez à loja e pedir para trocar.
      Ah, e não sei se vocês são da zona do Porto, mas vai haver, em breve, um evento onde há descontos até 25%. O de Lisboa foi na quinta, o do Porto ainda vai ser. Procura a página(página e não perfil, há os dois) da LEV no facebook e fica atenta.
      Outra coisa: a dieta da LEV é uma dieta hiperproteica sim (e hipocalórica também, daí a perda ser muito rápida) mas as proteínas são de origem vegetal e a quantidade de gorduras é controlada, o que tem vantagens em relação às dietas hiperproteicas tradicionais.
      Claro que talvez não seja a coisa mais saudável do mundo emagrecer com pacotes, mas, para quem quer um estímulo inicial, para quem quer perder peso rapidamente, durante um período limitado de tempo, é o ideal. E é melhor comer pacotes dois meses do que continuar com excesso de peso.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. oláa :) podem me ajudar pff, Tomei conhecimento, que o tratamento da LEV ronda os 200€ a 350€, estes valores são reais? Como funciona?
    é que por este preço p mim é impensável :(
    Beijinho e obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla,

      Envie-me um email para teresamblsfrancisco@gmail.com.

      Um beijinho

      Eliminar